Fazendo Terra Preta

 

Fazer terra preta não é apenas uma homenagem aos antigos povos da Amazônia. Esse tipo de solo é o resultado de uma evolução equilibrada e sustentável e é, na atual situação planetária, uma solução entre as mais eficientes para reverter o quadro das mudanças climáticas através da captura de carbono. Ainda resulta espantosamente genial no empoderamento da comunidade local, no desenvolvimento da agricultura familiar independente e no resgate da alimentação saudável como premissa do bem-estar social.

Observando perfis arqueológico de terra preta que mostram as várias camadas ao longo do tempo, apareciam frequentemente “feições” (como os próprios cientistas as chamam) em forma de “V” bem nas camadas mais baixas do perfil. Seria aquele o ponto onde a formação de terra preta iniciava? Seria aquele um simples buraco no chão ou uma vala que corria sobre o terreno? Tenha isso relação com a produção da terra preta ou não, o que importa que a partir dessa ideia conseguimos produzir um biocarvão de otima qualidade.

 

Esse artigo foi extraído da Amazoniapedia, onde o tema é abordado em forma de curso, entrando nos detalhes do assunto, assim como a origem da terra preta de índio, as pesquisas arqueológica e as mais novas pesquisa que procuram reproduzir a técnica.

A Amazoniapedia é um serviço social sem fim lucrativo nascido da urgência de uma situação ambiental e social que demanda um empenho efetivo de restauração. Os cursos são completamente gratuitos.

No uso do biocarvão na agricultura destaca-se três possibilidades entusiasmantes: fertilização permanente do solo, captura de carbono (do ar para o solo), de-contaminação de terras saturadas por agrotóxicos, mineração e dejetos industriais.

 

 

Tratava-se de cavar um cone com a ponta para baixo…

E91_2258 | NIKON D5100 |  | 2016:12:24  2:57:47 PM | Leonide Principe

 

… Na parte mais inclinada do terreno cavou-se uma vala para servir de drenagem. Ou seja, apenas evitar o alagamento do queimador durante as chuvas…

E91_2271 | NIKON D5100 |  | 2016:12:24  3:30:50 PM | Leonide Principe

 

 

 

… então alimenta-se o fogo, no nosso caso com galhos e folhas secas. São os resíduos da limpeza do terreno, restos de capina, etc. É importante não abafar o fogo, mantendo sempre uma chama limpa e sem fumaça…

E93_2332 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  10:54:34 AM | Leonide Principe

 

 

 

 

… fogo limpo e sem fumaça indica uma boa combustão…

E93_2334 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  11:04:13 AM | Leonide Principe

 

 

 

… chegando à conclusão do processo…

E93_2416 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  11:22:01 AM | Leonide Principe

 

 

… o tempo total de queima levou cerca de 4 horas…

E93_2468 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  2:15:12 PM | Leonide Principe

 

 

… então molha-se o biocarvão para apagar completamente a braza…

E93_2599 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  4:42:58 PM | Leonide Principe

 

 

… e pronto!

E93_2615 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  4:46:08 PM | Leonide Principe

 

 

É necessário ter muito cuidado para que nenhum brasa fique no carvão. Caso contrario a combustão inicia novamente e todo o trabalho é transformado em cinzas.

E93_2656 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  4:55:25 PM | Leonide Principe

 

 

O ideal é tirar todo o material do queimador e molhar mais uma vez.

E93_2713 | NIKON D5100 |  | 2016:12:28  5:02:32 PM | Leonide Principe

 

 

A próxima etapa é incorporar o biocarvão no composto. Pila-se primeiro para conseguir um pó com maior aproveitamento de superficie.

E93_2777 | NIKON D5100 |  | 2016:12:29  11:53:35 AM | Leonide Principe

 

 

 

Misturar o biocarvão no composto é carregar o mesmo de nutrientes e facilitar a fermentação dos resíduos. Só há vantagens!

E93_2788 | NIKON D5100 |  | 2016:12:29  11:55:48 AM | Leonide Principe

 

Similar Posts:

Deixe uma resposta